Casal de Franca produz casinhas de material reciclável para cães de rua

Diante da vontade de abrigar animais de rua, um casal de Franca resolveu utilizar materiais recicláveis e, a partir deles, construir casinhas para cães abandonados. A ideia, seguida do início da produção, surgiu há cerca de cinco anos e tem ganhado o apoio de empresários da cidade que passaram a colaborar com a doação dos materiais.

Segundo a funcionária pública Milena Primon, que faz parte do grupo de protetores Cão Que Mia, mais de cem casinhas já foram feitas nesse período e destinada para animais comunitários em situação de rua. “É uma maneira de tentarmos amenizar o sofrimento desses animais. Independente da causa, estamos fazendo a nossa parte como cidadãos”.

A produção das casinhas fica por conta do marido de Milena, Jorge Luís Silva. A base e a estrutura do telhado são feitos de paletes e a cobertura com banners e lonas que seriam descartados por lojas de materiais de construção, gráficas, empresas de toldos, entre outras.

Milena explica que cada casinha tem o tamanho de um palete (1,2m x 1,2m) e altura média de 1 metro e para confeccioná-la, o marido leva em torno de uma hora e meia. “Quanto maior o banner, melhor fica a cobertura. Banners pequenos precisam de muitas emendas e não fica bem vedado”.

Milena e Jorge afirmam que a proposta não é comercializar as casinhas, mas sim contribuir com uma causa, por isso muitas vezes é pedido a doação de um saco de ração para os animais de rua.

 

Foto: Divulgação

Notícias

01.04.2020 |

Francano é copiloto de voo que traz brasileiros retidos na África

Passageiros estavam ‘presos’ em Joanesburgo por conta do coronavírus. Antes, tripulação levou indonésios para Bali

01.04.2020 |

Magazine Luzia lança plataforma para ajudar autônomos e pequenas empresas

Parceiro Magalu tem objetivo de aumentar as possibilidades de venda durante a pandemia

31.03.2020 |

Profissionais de tecnologia se unem para criar solução de rastreamento do COVID-19

‘Hackathon For Life’ acontece online e os participantes, com ajuda de mentores, precisam desenvolver em uma semana solução inovadora para o sistema de saúde