fbpx

Lideranças do setor calçadista apresentam projeto ao governador João Doria

Lideranças do setor de couro e calçados dos polos industriais de Franca, Birigui e Jaú estiveram, na última segunda-feira, 1º, no Palácio dos Bandeirantes para um encontro com o governador de São Paulo, João Doria, a fim de apresentarem uma série de demandas. Redução de impostos como o ICMS (com equiparação ao que outros estados praticam), maior prazo para recolhimento e o novo PEP/REFIS para as empresas foram algumas delas.

“O Estado de São Paulo está trabalhando arduamente lado a lado com o setor calçadista, incentivando a geração de novos negócios e investimentos visando o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva”, disse, via assessoria, o governador.

A reunião também contou com a participação do Secretário da Fazenda, Henrique Meirelles; do Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi; e do Presidente da InvestSP, Wilson Mello. “Na ocasião, foi apresentado um plano de inovação do setor, que conta com o apoio da agência Desenvolve SP com linhas de crédito para financiamento da renovação do parque fabril, bem como suporte para pesquisa e desenvolvimento”, informou a assessoria do Estado.

O presidente do Sindifranca (Sindicato da Indústria de Calçados de Franca), José Carlos Brigagão do Couto, participou do encontro e concedeu ao Acess uma breve entrevista. Confira:

 

Quais foram as principais pautas apresentadas pelo setor calçadista ao governador?

José Carlos Brigagão – O Governador João Doria, nos recebeu em audiência no dia 24/04/19 acompanhado de sua equipe. Nesta oportunidade, nós apresentamos a ele a o cenário econômico da indústria calçadista dos polos de Franca, Birigui e Jaú. Em seguida, apresentamos vários pleitos pontuais destes polos. Para nossa surpresa, o Governador além de estar acompanhado de sua equipe, ele foi mais profundo, ou seja, quer que o calçado paulista seja referência internacional. Para tanto, ele nos deu a “lição de casa”: solicitou um projeto  para restabelecer a competitividade do polo calçadista paulista nos âmbitos nacionais e internacionais, contemplando os seguintes temas como objetivo geral do trabalho: Tecnologia E Inovação, Qualificação De Mão De Obra, Ambiente de Negócios e Desburocratização, Financiamento Competitivo, Infraestrutura e Serviços e Simplificação Tributária e Regulatória.

Esta atitude do Governador Doria é inédita no mundo político em que vivemos, pois envolveu toda a sua equipe inserida nos temas, determinou a criação de um grupo de WhatsApp entre nós e sua equipe, nos deu um prazo de 60 dias para apresentarmos o projeto e marcou nova audiência para o dia 01/07/19.

Então o encontro de segunda-feira teve o objetivo de entregar a proposta do projeto que vem sendo desenvolvido desde abril?

José Carlos Brigagão – Sim. No dia 01/07/19, em audiência, apresentamos o projeto “Polo de Desenvolvimento Econômico Couro e Calçados do Estado de São Paulo”, composto de mais de 260 páginas abrangendo toda a cadeia produtiva. Os trabalhos foram capitaneados pelo empresário Giuliano Spinelli Gera em conjunto com a empresa de consultoria FAME por meio de seu titular Fabio Moreira e com a colaboração da equipe de governo, FIPE, equipes de sindicatos e do DNI-ACIF (Departamentos de Negócios Internacionais da Associação do Comércio e Indústria de Franca).

 

 

O que deve ocorrer a partir desta entrega?

José Carlos Brigagão – O passo seguinte é a elaboração do um cronograma de ações e responsabilidade do Governo, Sindicatos, Empresários e da cadeia produtiva. Quando então serão divulgas as ações/pleitos a serem implantados. Em seguida o projeto será apresentado a toda cadeia produtiva, em evento a ser realizado em Franca nas próximas semanas.

 

Um novo encontro está marcado para o próximo semestre: quais as expectativas em relação à devolutiva do Governo ao projeto?

José Carlos Brigagão – Como disse, o trabalho é inédito no setor calçadista nacional. O projeto é muito abrangente e a determinação do Governador Doria, seu apoio irrestrito e envolvimento no processo, nos dão uma expectativa muito positiva de que, em um curto prazo, já tenhamos resultados. Portanto, temos a certeza que o Governo do Estado irá atender o prognóstico apontado pelo projeto.

 

Por fim, qual o senhor acredita ser o maior desafio do setor calçadista, especialmente da realidade francana, para este próximo semestre?

José Carlos Brigagão – Dada a situação econômica e política que o nosso País está vivenciando, o setor calçadista passará por dificuldades ainda este ano. Mas, poderão ser abreviadas positivamente, se as reformas do executivo forem aprovadas pelo Congresso Nacional. Assim sendo, o maior desafio que vamos enfrentar será a implantação deste projeto apresentado ao Governo do Estado, em que toda a cadeia produtiva do calçado e entidades ligadas direta e indiretamente ao setor serão convocadas para a sua implantação. A união das empresas em torno de seus sindicatos será fundamental para o sucesso.

Fonte: Acess

Notícias

18.10.2019 |

Oktoberfest: bandas, gincana cervejeira, oficina gastronômica e área kids

Além de 40 torneiras e mais de 20 estilos de cerveja, evento oferecerá diversas atrações neste sábado e domingo, no Espaço Aberto do Sesi; confira a programação

18.10.2019 | Notícia

Francal Feiras aposta no mercado de pescados

Seafood Show Latin America entrará no calendário 2020 da promotora

18.10.2019 | Notícia

Cafeteria de Franca faz atendimento em inglês e premia quem toca rock

Empreendimento existe há dois anos e divulga a cultura norte-americana na cidade